Tuesday, October 24, 2006

A história dos alívios para a entrada da área

O golo do FC Porto no último domingo no derby com o Sporting fez-me reviver alguns momentos muito maus. Aquele toque, que teve tanto de ingénuo como de imbecil do nosso titularíssimo da selecção, fez-me lembrar as dramáticas eliminações do Sporting em dois anos seguidos com equipas austríacas: Casino Salzburg e Rapid de Viena. Isto porque à semelhança do Ricardo, também, salvo erro o Nélson, o lateral direito, resolveu cortar a bola mesmo para a zona central da área. Resultado: uma “bomba” para o fundo das redes dum rapazinho chamado Kubauher que ninguém conhecia e que depois chegou a jogar na Real Sociedad. Será que ninguém os avisa para não porem a bola naquela zona? Ou será mesmo cortar para onde estão virados?

3 comments :

Anonymous said...

O problemas dos alívios é a falta de capacidade cerebral dos jogadores da bola. Como tudo tem que se decidir numa fracção de segundo e os jogadores têm pouca capacidade para pensar, a bola ocasionalmente vai para o pior sítio. Mas também tenho que dizer que muita da culpa passou pela defesa, que não soube tirar a bola da zona de perigo.

eilo said...

weheieeu

Anonymous said...

o men tem um modo muito proprio de sair aos cruzamentos, mas muitas das vezes os defesas nao o entendem.o seu maior sonho é jogar no benfica e aquela contrataçao falhada afectou-o psicologicamente
....eh eh. mas o k mais me custou foi este tipo ter-me feito esperar cerca de uma hora para falar nuima conferencia de imprensa e depoois acabou por aparecer o rui jorge.