Tuesday, August 14, 2007

A ingratidão de Dady


Já diz o povo que “não se deve cuspir no prato em que se comeu”. Parece ser esta a situação de Dady, segundo melhor marcador da SuperLiga da época passada. O internacional cabo-verdiano que parecia não passar de um jogador banal e bastante trapalhão transformou-se num avançado temível com a ajuda de Jorge Jesus. Agora, parte para Espanha rotulado de “estrela”, saíndo pela porta pequena do Belenenses, o clube que o projectou para a alta roda do futebol. Contudo, é certo que se havia uma cláusula de 3,5 milhões de euros para o libertar, o clube do Restelo devia-a ter respeitado, mas mesmo assim faz um encaixe bastante significativo. Resta saber o que conseguirá fazer Dady num campeonato onde os defesas parecem “carraças” em cima dos avançados. Regressará à mediocridade ou continuará em alta, ao que tudo indica, no Osasuna? A resposta será dada durante esta época. Portillo, Pandiani e Vela não deixam antever facilidades.

6 comments :

Anonymous said...

estas situações acontecem todos os anos. o que é engraçado é que as vedetas deixam de aparecer, sao dados como desaparecidos e acabam por ir para outras paragens...a maioria das vezes para clubes desconhecidos e, em troca de mais euros, caem no esquecimento. e a ingratidao???? no caso de dady ja se esqueceu que foi o belem que o pos na ribalta...~mas, infelizmente há muitos dadies no futebol.

gerson sicca said...

Só acho q as defesas espanholas são muito frágeis. Geralmente, marcam em linha. Aí fragilizam-se.
Lembremo-no de como o meu Internacional matou o Barcelona no Japão, aproveitando da deficiente cobertura do adversário. Muito ataque e pouca defesa.

Bruno Pinto said...

Ricky, este Dady pode ter ambições de ir mais além, é legítimo e é um direito que lhe assiste. Agora sair desta forma, desrespeitando um clube que fez dele alguém, que o tirou do anonimato, é lamentável, eticamente reprovável. Prevejo que não vingue no futebol espanhol. Acho muito cedo para ter dado já o salto para um futebol muito mais exigente. É o que acontece normalmente a quem quer dar um passo maior que a perna. Enfim...

Abraço

Pedro Neves said...

Continuo a dizer que não é grande jogador.

Jorge Silva said...

Caros amigos, chamarem ingrato a um jogador profissional que fez uma opção de trabalho, ao que parece por razões de ordem financeira, não me parece uma atitude sensata! Os contratos de trabalho não devem ser encarados como um faz de conta, a cláusula de rescisão, pelo que foi noticiado, era de 3,5 milhões de euros, o que na prática significa que quem aparecer com esse dinheiro contracta o jogador, bastando para isso um entendimento laboral com o mesmo. Isto em Portugal é assim, a paixão pelo Futebol leva a que se endeuse e glorifique os clubes, como que estes não fossem aquilo que os dirigentes que vão passando por lá, queiram que seja, enquanto lá estão! Veja-se o exemplo do Figo, considerado um jogador deus quase unanimemente, por toda a nação futebolística e, no entanto sempre fez opções milionárias, com o mesmo modus operandi, que o Dady! Sejamos lúcidos, nem o Figo é um Deus, nem o Dady é um mercenário, são ambos profissionais da indústria do Futebol, com ambições e expectativas profissionais tão legítimas como as de qualquer outro profissional de um outro sector de actividade! O Futebol profissional é uma indústria, e é assim que deve ser visto, não poder ser isto, de “nem ser carne nem ser peixe”, onde se quer chamar de Futebol Profissional e depois funcionar com princípios e regras amadoras, baseadas em convicções emocionais! Veja-se o exemplo do futebol Inglês, não foi por um Russo ter comprado o Chelsea ou um Americano ter comprado o Manchester, que as pessoas deixaram de encher os estádios ou deixaram de comprar produtos do Futebol Inglês! Isso só se consegue com um mudar de mentalidades, começando em cada um de nós, na nossa atitude perante a nossa vida pessoal e profissional e, também nos nossos círculos de influência, tentando ser o mais competente possível dentro dos mais elementares padrões éticos! Só assim teremos parcelas suficientes para poder somar e obter um resultado geral bem melhor do que este que temos actualmente!

Ricky_cord said...

Caro Jorge Silva, agradeço o seu extenso e construtivo comentário. Esclareço apenas que dei a minha opinião sobre a saída de Dady que acho que não aconteceu da melhor maneira e que nunca pretendi ofendê-lo. Obrigado e apareça sempre.