Tuesday, June 17, 2008

Se Hitler voltasse a viver…


A selecção alemã que vai defrontar Portugal esta quinta-feira nos quartos-de-final do Euro 2008 é das que mais jogadores nascidos noutros países tem entre os 23 eleitos. São nada mais, nada menos que cinco. Só no ataque são quatro entre os cinco convocados. Os avançados do Bayern de Munique, Miroslav Klose e Lukas Podolski, nasceram na Polónia, assim como o médio do Hamburgo, Piotr Trochowski. Nas opções atacantes constam ainda Kevin Kuranyi, do Schalke 04, nascido no Rio de Janeiro, e o veterano “suíço” Oliver Neuville, do Borussia de Moenchengladbach. Podolski marcou mesmo os dois golos que derrotaram a selecção do país no primeiro jogo do grupo B. Outros dois naturalizados, potenciais seleccionáveis, que ficaram de fora foram o “ganês” Gerald Asamoah e o “norte-americano” Jermaine Jones, ambos do Schalke 04. É certo que também há dois luso-brasileiros - Deco e Pepe – a representar Portugal, mas é caso para dizer que se Hitler voltasse a viver… morreria de susto.

4 comments :

carlos pizzatto said...

O excesso de naturalizações está virando uma vergonha.

Vinicius Grissi said...

A FIFA promete intervir no excesso de naturalizações. Realmente tira um pouco da graça de ver as seleções jogarem. Fica uma coisa sem identidade.

gerson said...

Isso mostra que o futebol alemão está em fase braba. E tem q limitar as naturalizações mesmo. Só assim para os países ricos preocuparem-se em formar mais jogadores.


Ajude o “Limpo no Lance” a ter um texto no livro do centenário do Inter. Acesse o blog e veja como.Seu voto é muito importante!
Conto com tua visita

Carlão Azul said...

Deus me livre....

Ainda bem que os tempos são outros na Alemanha.

Concordo com o meu xara ai acima. Uma vergonha essas naturalizaçoes.

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense - BLog
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE